top of page

ARQUITETURA COMERCIAL

Giro d´Caffè con bar

Giro d´Caffè con bar

ÁREA CONSTRUÍDA

85 m²

LOCAL

Ribeirão Preto SP

ANO

2021

ARQUITETA

Maísa Jordão e Vinícius Scofano

O projeto do Giro d’Caffè con bar foi desenvolvido a partir da premissa de criar um café conceito que conseguisse unir café e ciclismo no mesmo ambiente. O café surge como um espaço de novas experiências, de encontro e de aconchego. Um local para receber as pessoas e um ponto de apoio e de encontro de ciclistas.

 

O projeto se desenvolveu para criar diferentes ambiências no mesmo espaço, integrando os ambientes e proporcionando uma flexibilidade de layout para poder abrigar diferentes tipos de eventos no local.

Complementando a arquitetura, a atmosfera do bar foi criada através da vegetação pendente e da decoração, trazendo a bicicleta e o ciclismo como itens difundidos ao longo de todo o espaço.

 

Praticidade e funcionalidade foram diretrizes essenciais na concepção do projeto. O espaço foi organizado de forma a facilitar o fluxo interno de clientes e funcionários e permitir uma visualização do espaço como um todo. O grande banco estofado que guia a entrada permite que as mesas se juntem e se adequem a receber tanto clientes individuais quanto grupos maiores. Já o mobiliário do fundo, cria um ambiente mais despojado para grupos menores.

A sala inicial definida para o projeto já continha alguns elementos que foram potencializados e valorizados: a laje nervurada aparente, o piso vinílico amadeirado e a iluminação aparente. Esses elementos, foram fundamentais para a definição dos materiais e paleta de cores empregados no projeto. De um lado, temos o tijolinho aparente, o cimento queimado e o verde escuro como os elementos chaves e marcantes do projeto e do outro, temos as grades esquadrias que enquadram a paisagem, com o mobiliário solto e os móveis em serralheria que conferem um contraponto e uma leveza ao ambiente.

 

A iluminação do ambiente foi trabalhada de três formas diferentes: a primeira, através de spots de iluminação para marcar e guiar o fluxo de passagem do ambiente, a segunda, uma iluminação mais cênica para valorizar a laje nervurada aparente e alguns focos estratégicos do projeto e trabalhar a sensação de amplitude do espaço e a terceira para criar uma iluminação mais aconchegante na área das mesas.

<